djaimilia











“Pereira de Almeida’s tale is driven by potentiality, by its willingness to contradict itself and provide answers or termination points that are only ever provisional. The form of these sentences, and the form of the work as a whole, mirrors the content. Where can we go when we are not quite of a particular place, or perhaps more accurately, when we are of two places at once, when home, or belonging, is a perpetual question? The question of the other self is, by its very nature, an unanswerable one, a problem with no solution. So much happens in a life that is merely contingent, unpredictable, open-ended, and arbitrary. As we live, we remember only that which allows us to keep moving, and we lose the embodied constraints the other self would would have faced in a different country. We construct according to the existing moment. We are only ever capable of assessing this life from within the perspective of the self we are in this moment. Or as [Djaimilia] puts it: “Memory is a demagogue: it doesn’t allow us to choose what we see; it thrives on the temptation to make less of the people we were not.” LA REVIEW OF BOOKS







Djaimilia Pereira de Almeida é escritora. Escreveu, entre outros, Esse cabelo, Luanda, Lisboa, Paraíso e Três Histórias de Esquecimento. Os seus livros estão publicados em Portugal, no Brasil, nos Estados Unidos da América, em Itália, na Argentina, nos países de língua alemã e, em breve, em Árabe, Catalão, Dinamarquês, Eslovaco e Mandarim. Recebeu o Prémio Oceanos 2019 e 2020, o Prémio Fundação Inês de Castro 2018 e o Prémio Fundação Eça de Queiroz 2019. Doutorou-se em Teoria da Literatura na Universidade de Lisboa. Nasceu em Luanda e cresceu nos subúrbios de Lisboa. Escreveu no Neue Zürcher Zeitung, Revista Serrote, Ler, Pessoa, Common Knowledge, ZUM, Contemporânea, Expresso, Marie Claire Brasil, Folha de São Paulo, entre outras publicações. Na Primavera de 2022, foi a escritora residente da Literaturhaus Zürich
Djaimilia Pereira de Almeida is a writer. She is the author of That Hair (Tin House, 2020), Luanda, Lisbon, Paradise and Three Novellas of Forgetting. Her work is available in Portugal, Brazil, the US, Germany, Italy and Argentina and is being translated into many other languages. She has received several awards, including the Oceanos Prize, the Inês de Castro Foundation Prize and the Eça de Queiroz Foundation Award. A recipient of a National Writing Fellowship awarded by the Portuguese Ministry of Culture, she holds a PhD in Literary Theory from the University of Lisbon. Her work has appeared in Neue Zürcher Zeitung, Revista Serrote, Ler, Pessoa, Common Knowledge, ZUM, Contemporânea, Expresso, Marie Claire Brasil, Folha de São Paulo, among other publications. In Spring 2022, she was the Writer in Residence at Literaturhaus Zürich.














.


livros
books



Três Histórias de Esquecimento. Relógio d’Água, 2021.
Maremoto. Relógio D’Água; Unionsverlag (Barbara Leß-Correia Mesquita, trad.), 2021.
Regras de isolamento.
FFMS, 2020.
As Telefones. Relógio D’Água, 2020.
A Visão das Plantas. Relógio D’Água, 2019 / Im Auge der Pflanzen, Unionsverlag (Barbara Leß-Correia Mesquita, trad.) 2022. / Edhasa
Pintado com o Pé. Relógio D’Água, 2019.  
Luanda, Lisboa, Paraíso. Companhia das Letras Portugal, 2018. / Luanda, Lisboa, Paraíso, Companhia das Letras, 2019. Lisabon, Luanda, Raj, Portugalsky (Silvia Slaniková, trad.) / Sichuan Literature & Art.  
Ajudar a cair. FFMS, 2017.
Esse Cabelo. Teorema, 2015. / Esse Cabelo, Leya Brasil, 2017. That Hair, Tin House Books (Eric M.B. Becker, trad.) 2020. / Esse Cabelo, Relógio D’Água, 2020. / Ese Cabello, Edhasa (Bárbara Belloc & Teresa Arijón, trad.) 2022 / Det hår, Aurora Boreal (Tine Likke Prado, trad.) / Questi Capelli, La Nuova Frontiera (Giorgio di Marchis & Marta Silvetti trad.) / Lletra Impresa Edicions (Sebastià Bennasar, trad.) / Al arabi.



livros de artista
artist’s books



Mariana / Bulhufas (2 ex.), 2021.
A estrada menos eu / Bulhufas (2 ex.), 2021.
A cauda / Joana e Mariana (50 ex.), 2020.
Colagem / Coragem / ilhas estúdio (50 ex.), 2020.



















encontre estes livros:
find these books:


Relógio D’Água Editores
Todavia
Penguin Livros
Tin House Books
Unionsverlag
La Nuova Frontiera



contacts
contact


Literary agent:

Nicole Witt
n.witt[at]mertin-litag.de

Imprensa:
Portugal
relogiodagua[at]relogiodagua.pt

Brasil:
Nathalia Pazini
imprensa[at]todavialivros.com.br

Para outras questões, contacte, por favor:

For other inquiries, please write to:
Dois Um - Literary PR
dois.um.press[at]gmail.com











prémios e distinções
awards and honours


Finalista do Prémio Literário Casino da Póvoa 2022 por Maremoto.
Finalista do Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB 2021 por As Telefones.
Finalista do PEN America Translation Prize 2020 por That Hair, com Eric M.B. Becker.
Oceanos, Prémio de Literatura em Língua Portuguesa 2020 por A Visão das Plantas, 2º lugar.
Finalista do Prémio Literário Fernando Namora 2019 por A Visão das Plantas.
Finalista do Prémio Pen Clube Narrativa 2019 por A Visão das Plantas.
Finalista do Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB 2020 por A Visão das Plantas.
Oceanos, Prémio de Literatura em Língua Portuguesa 2019, por Luanda, Lisboa, Paraíso.
Finalista do Prémio Pen Clube Narrativa 2018 por Luanda, Lisboa, Paraíso.
Finalista do Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB 2019 por Luanda, Lisboa, Paraíso.
Prémio Literário Fundação Eça de Queiroz 2019 por Luanda, Lisboa, Paraíso.
Prémio Literário Fundação Inês de Castro 2019 por Luanda, Lisboa, Paraíso.
Finalista do Prémio Literário Casino da Póvoa 2018 por Esse Cabelo.
Prémio Novos 2016 Literatura por Esse Cabelo.
Finalista do 8º ciclo da Rolex Mentor and Protégé Arts Initiative, 2016.
Prémio de Ensaísmo Serrote por “Saudades de Casa”, IMS, 3º lugar, 2013.
Prémio Primeiras Teses, Centro de Literatura Portuguesa, FLUC. 2010.




bolsas & residências
grants & residencies


Writer in Residence, Literaturhaus Zürich, 2022.
Bolsa de Criação Literária, Ministério da Cultura | DGLAB. 2018.
Bolsa Criar Lusofonia, Ministério da Cultura | Centro Nacional de Cultura. 2017.



ensaios, vídeos, recensões, leituras, etc.
essays, videos, reviews, readings, etc.


Bin ich eine schwarze Autorin? Ensaio no Neue Zürcher Zeitung. 2022.
Livros de formação. Livraria Megafauna, 2022.
Lançamento de Esse Cabelo (Todavia, 2022), com Itamar Vieira Júnior e Leandro Sarmatz, 2022.
Fotolivro de cabeceira, Biblioteca de Fotografia, Instituto Moreira Salles. Ma Vie Va Changer, de Patrícia Almeida e David-Alexandre Guéniot, 2021.
Testemunho, Mostra Tudo o que eu quero — Artistas portuguesas de 1900 a 2020, Curadoria: Helena de Freitas e Bruno Marchand, FCG, 2021.
Flip 2021, Conversa com Elif Shafak (mediação de Mirna Queiroz), 2021.
Conversa com Paulo Werneck. Podcast Cruzamentos Literários. Leituras de Veronica Stigger, 2021.
Flip 2021, com Elif Shafak e mediação de Mirna Queiroz, na Folha de S.Paulo,
2021.
Um momento com Djaimilia Pereira de Almeida. Conversa com Sheila Khan, 2021.
Conversa com José Navarro de Andrade, Vamos Beber um Café e Conversar sobre Isso, RTP2, 2021.
Entrevista a Anabela Mota Ribeiro, Os Filhos da Madrugada, RTP 3, 2021.
Leitura de Luanda, Lisboa, Paraíso. Torre do Tombo. Prémio Oceanos 2019.
The Scream. Granta Magazine.
Saudades de casa. Ensaio na Revista Serrote [2013], 2022.



bibliografia secundária
secondary literature


Nazaré Torrão (2017). “Espelho meu, diz-me quem sou e quem poderia ter sido! Uma análise de Esse Cabelo, de Djaimilia Pereira de Almeida”. Exiliance au féminin dans le monde lusophone (XXe – XXIe siècles). Eds. Maria Graciete Besse et al. Paris: Editions Hispaniques. 281-288.

Sandra Sousa (2017). “A descoberta de uma identidade pós-colonial em Esse cabelo de Djaimilia Pereira de Almeida”. Abril – NEPA / UFF, 9 (18), 57-68.

Margarida Calafate Ribeiro (2019). “Luanda, Lisboa, Paraíso?”. Buala.

Margarida Calafate Ribeiro (2019). “Viagens na Minha Terra de ‘outros’ ocidentais”. Heranças pós-coloniais nas literaturas de língua portuguesa. Eds. Margarida Calafate Ribeiro, e Phillip Rothwell. Porto: Afrontamento. 291-308.

Paulo de Medeiros (2020). “Memórias Pós­-imperiais: Luuanda, de José Luandino Vieira, e Luanda, Lisboa, Paraíso, de Djaimilia Pereira de Almeida”. Língua-Lugar: Literatura, História, Estudos Culturais, 1(1), 136–149.

Norma Sueli Rosa Lima (2020). “Esse cabelo em Luanda, Lisboa, Paraíso: Djaimilia Pereira de Almeida e a experiência do desenraizamento na tentativa de integração”. RCL | Convergência Lusíada | Rio de Janeiro | v. 31, n. 43 | p.12-24 | jan.-jun. 2020.

Liz Almeida (2020) Percepções sobre identidade e migração na literatura negra, feminina e diaspórica de Djaimilia Pereira de Almeida. FARIA, Sandra Teixeira de et all. Novas contribuições em investigação e ensino em língua portuguesa. Madrid; Didot. pp.299-216.

Liz Almeida (2020) A Migração como um direito humano: Algumas implicações sobre o ordenamento jurídico estabelecido a partir da DUDH à luz da ficção Luanda, Lisboa, Paraíso. Revista Científica do UniRios 2. pp.9-29.

Patrícia Martinho-Ferreira (2021). “‘Algum mulato tem pai?’ Orfandade e identidade em António Lobo Antunes e Djaimilia Pereira de Almeida”. Santa Barbara Portuguese Studies, Volume 6: António Lobo Antunes, p.1-22.

Sheila Khan (2021). “Cartas, Solidão e Voz para uma Pós-Memória: Maremoto, de Djaimilia Pereira de Almeida”. Abril – NEPA / UFF.13 (27), 125-135.

Nicola Biasio (2021). “Diálogo da natureza e um pirata: a ecocrítica por uma perspectiva descolonizadora em A Visão das Plantas de Djaimilia Pereira de Almeida”. Abril – NEPA / UFF, 13 (27), 137-149.

Regina Helena Pires de Brito e Ana Lucia Trevisan (2021). “Representações do sujeito subalterno em contextos pós-coloniais: uma reflexão sobre Esse cabelo e Luanda, Lisboa, Paraíso, de Djaimilia Pereira de Almeida”. Verbum, v. 10 n. 2, Dossier Temático: A Escrita Como Recurso Reflexivo na Aprendizagem, no Ensino e na Pesquisa, Setembro, p.142-154.

Bianca Gonçalves. (2021). Para uma Filosofia do Cabelo: uma análise de Esse cabelo de Djaimilia Pereira de Almeida. Dissertação de mestrado em Letras, USP.

Alice Girotto (2021). Os “álbuns despenteados” em Esse cabelo de Djaimilia Pereira de Almeida. Materialities of Literature. Vol. 9 N.º 1: Fotolivros de Literatura: Teoria e História.

Rafaella Cristina Alves Teotônio (2021). “Caderno de memórias coloniais e Luanda, Lisboa, Paraíso: mulheres narram as ruínas do império”. Abril – NEPA / UFF, 13 (27), 151-166.

Roberta Guimarães Franco (2021). “A ‘inseparabilidade’ dos trânsitos na obra de Djaimilia Pereira de Almeida”, Abril — NEPA / UFF.

Evandro Nascimento (2021). “O não-humanismo dos vegetais: A Visão das Plantas, de Djaimilia Pereira de Almeida”, Revista Pessoa.

Sandra Sousa (2022, no prelo) “A figura do pai em Luanda, Lisboa, Paraíso e Purple Hibiscus: uma história de contrastes.” The Africas in the World and the World in the Africas: African Literatures and Comparativism. Ed. Sandra Sousa & Nazir Ahmed Can. Quod Manet.

Sandra Sousa (2022, no prelo) “Reclaiming an Individual Space: the Angolan Diaspora in Portugal.” 21st Century Arab and African diasporas in Spain, Portugal and Latin America. Routledge.

Sheila Khan (2022, no prelo) “Saudade, Solidão e Silêncio em Luanda, Lisboa, Paraíso de Djaimilia Pereira de Almeida e em Reino Transcendente de Yaa Gyasi”. The Africas in the World and the World in the Africas: African Literatures and Comparativism. Ed. Sandra Sousa & Nazir Ahmed Can. Quod Manet.